Pensamentos

A única maneira de ter um amigo é sendo um.
(Ralph Waldo Emerson)

As promessas de Deus vão se cumprir

terça-feira, 21 de outubro de 2014


Após 6 meses de me formar bacharel em Educação Física tive a infelicidade de sofrer um acidente e ter o rompimento parcial do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. Pra mim foi o fim do mundo! Trabalhava com o que gostava. Dava aula de lutas e ginástica para terceira idade. Todos os meus alunos precisavam de mim de uma forma ativa e que exigia o máximo esforço.
A única coisa que eu sabia fazer enquanto ficava em casa era chorar e perguntar a Deus o porquê disso tudo. Foi quando tive a resposta:
- Faça Direito!
Sério que a única coisa que pensei é que na altura do campeonato não estava disposta a fazer vestibular. Foi quando entrei no site de uma Universidade e vi que além do vestibular existia a obtenção de novo título, feita através de avaliação de curriculum.
- Meu Deus! O que Educação Física tem a ver com o Direito? Nunca que seria aprovada dessa forma. – Esse foi o meu pensamento, mas como senti que era de Deus juntei os documentos e levei a unidade de ensino.
Logo após um mês, aproximadamente, recebi uma ligação da faculdade informando que havia sido aprovada que teria até tal dia para fazer minha matrícula.
Como era o sonho dos meus pais que eu fizesse o curso de Direito me deram toda a força e apoio.
Nos primeiro dias de aula os professores no intuito de conhecer os alunos fazem milhares de perguntas e uma delas era se já éramos formados. Com isso, pude observar que somente eu havia consegui ingressar através da obtenção de novo título, sendo que havia na mesma sala várias pessoas com outro curso superior.
Na mesma hora agradeci a Deus, pois mais uma vez pude observar seu total cuidado com minha vida.
Como desde o início fui sustentada pelo Papai (oh Deus maravilhoso) resolvi que faria diferente! Queria fazer o curso de forma a não trapacear. Ou seja, decidi não colar.
Não posso falar que foi fácil, mas Deus com sua infinita bondade colocou em meu caminho pessoas excepcionais que a todos os momentos me auxiliaram nessa caminhada cansativa e dolorosa.
Quem me conhece sabe que não sou capaz de estudar sozinha. Tenho déficit de atenção e qualquer coisa é mais interessante do que as minhas obrigações. E todos os dias tinha alguém disposto a chegar mais cedo na faculdade para estudar comigo, o que era muito bom, pois acabávamos aprendendo mais do que em sala de aula. Rsrs.
Antes de formar fiz o bendito exame da Ordem duas vezes, sem obter êxito! E fiz um propósito junto com minha amiga Thamara que se passássemos na segunda iriamos à porta do local do Exame da OAB e iríamos orar pela vida das pessoas que prestariam o exame.
Não passei, mas ela sim! E como tínhamos proposto fomos orar pelas pessoas. Sério que foi uma das melhores experiências (mesmo sendo, eu também, um das pessoas que iria prestar mais uma vez o exame da OAB).
Passou-me tanta calma, realmente é muito melhor servir do que ser servido!!!!
Fiz a prova tranquila e como sempre com tempo de sobra. Pensava que era um absurdo dá um tempo de 5 horas para prestar um concurso. Muito desnecessário (depois vi que 5 horas representa um piscar de olhos, rs).
Quando saiu o gabarito fui conferir calmamente com o meu noivo e quando chegamos na última questão me deparo com um 40! Só quem tira 40 na OAB sabe o que isso significa!!
- Meu Deus um 40!
Conferi mais umas 5 vezes. Meu noivo não acreditou e corrigiu mais uma para ter a absoluta certeza. E realmente era 40!!!
- Quanta felicidade.
No outro dia mesmo o meu noivo passou na minha casa e me levou para olhar um cursinho para a segunda etapa, pois ele e meu irmão iriam me dá de presente.
O professor do cursinho só sabia falar que a prova era um lixo. Que iriamos cuspir nela e que chutaríamos a bunda dos examinadores. – A prova da OAB é ridícula! Ele falava a todo momento isso.
- Ridículo é ele! – Acho que todo mundo pensava nisso.
Durante 3 semanas de cursinho conheci dois rapazes, que mal mal conversávamos direito. Até que um final de semana antes da prova tivemos aula em uma sala que as mesas eram redondas proporcionando-nos conhecer mais pessoas.
Foi o melhor momento do cursinho para mim, porque assim pude conhecer pessoas que como meus amigos da faculdade, estavam dispostos a estudarem comigo.
- Oh Deus! Como sou grata por isso!!! Porque dia comecei a estudar como devia.
Fiquei uma semana sem ir trabalhar, chegando às 7h30 no cursinho e saindo às 22h40.
Todos os dias tive companhia para estudar além de ter feito amizade que com certeza levarei para o resto da vida.
E o tão temido dia chegou. Me sentia preparada e tinha a certeza que se não passasse não foi por falta de estudo ou conhecimento.
Quando peguei a prova e vi a peça (que valia metade da prova) falei comigo mesma que aquela prova estava no papo e que o professor estava certo em dizer que era um lixo.
Virei a prova. Eh, a primeira questão eu sei, no decorrer da prova acho os fundamentos (não sabia eu que os fundamentos tinham fugido do meu vade mecum). Lendo a segunda questão tive a certeza que ia passar. Direito de família é fácil (mais uma vez enganada! O nervosismo roubou todo o meu conhecimento). Terceira questão, a única que achei um pouco complicada. Quarta questão, vou cuspi nessa prova. Fiz uma questão muito parecida na sexta, rsrs.
Final das contas. Passaram 4 horas de prova e eu não tinha feito NADA!!! Sabia tudo, mas nada vinha na minha cabeça.
Somente a peça e a última questão fiz com propriedade. A questão 1 estava em dúvida entre duas resposta e escolhi a errada para escrever. A questão 2 sabia responder só a letra A e a B não tinha ideia. A questão 3 realmente era difícil.
Quando faltava 30 minutos para acabar a prova ainda faltava para terminar a questão 2 e 3. Consegui fazer, no entanto fiz para não deixar em branco.
Sai da sala em estado de choque! Meu Deus como pode uma prova dessa?? Segurei para não chorar.
Como estava no 6º andar, preferi descer de escada para evitar encontrar alguém no elevador. Estava sentido vergonha, medo, angustia. Era o pior dia da minha vida!
Conferindo o gabarito vi que não estava nada bom para mim. O professor do cursinho disse que iria fazer o recurso para mim, mesmo eu não acreditando.
No dia seguinte, já mais calma, conversando com um colega de serviço vi que ainda havia uma chance e assim reacendi a minha fé.
- Deus me sustentou até aqui, me capacitou, me auxiliou e não será agora que ficarei só! – Esse foi o meu pensamento.
Mantive firme e acreditando e sabia que o meu Deus era Deus do impossível.
Quando abriu o prazo para o recurso o professor interpôs (interpôs um recurso que não me convenceu), mas sabia que ainda existia uma chance.
Ontem, dia 20 de outubro, saiu o resultado do recurso. Para a honra e glória do Senhor fui aprovada.
Sou muito grata a Deus por tudo que fez em minha vida, por cumprir um promessa que fez para mim quando estava no deserto, por colocar em minha vida pessoas excepcionais como a Thamara, Luciana, Débora, Dayanne, Carlito, Francine, Crislane, Jéssica, Stephanie.
Não perca a fé, mantenha seu foco no alvo.
Chorei, como chorei. Mas hoje Deus colocou um sorriso em meu rosto que não tem preço, que não há nada nesse mundo que poderá pagar ou arrancar do meu rosto. 

"Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam." 1 Coríntios 2:9

Deus é bom em todo tempo e em todas as coisa.

Rubia Carvalho.

0 comentários:

Receba atualizações por e-mail

 

Copyright © Vivendo o IDE All Rights Reserved • Design by Dzignine
best suvaudi suvinfiniti suv